Como o swing tornou meu casamento mais forte

Claire e seu agora marido Eric (nomes fictícios) passaram cerca de três anos enquanto namoravam em um clube de swing. Foi assim que aconteceu, de acordo com Claire - e como ela diz que tornou o relacionamento deles mais forte.

Nós estávamos namorando há alguns anos e morávamos bem distantes. Estávamos com quase 30 anos. Nenhum de nós nunca foi casado ou teve filhos, e nos conhecemos e meio que deu certo. Acho que foi o momento certo em nossas vidas. Ficamos muito tempo longe e foi bom, porque eu tinha algo pelo qual ansiar. Então começamos a ficar mais sérios.

[Balanço] meio que começou como uma piada. Ele sempre brincava comigo e dizia: 'Há algumas coisas que gostaria de eliminar da minha lista de desejos antes de completar 40 anos'. Ele ficava dizendo: 'Você quer ir a um clube de swing?' Eu disse: 'Do que você está falando? Eu nem sei o que é isso! Sou uma garota do Meio-Oeste alimentada com milho. Ele tinha um amigo que foi com sua namorada e eles disseram que era uma explosão e eles fizeram um sexo incrível por semanas e semanas depois.



Ele não é nem remotamente assustador. Há outras pessoas com quem namorei que se tivessem dito que eu teria pegado o primeiro trem para fora da cidade. Mas tínhamos um relacionamento realmente ótimo. Como estava se aproximando de seu aniversário, eu estava pensando comigo mesma, Eu vou fazer isso no aniversário dele . Eu sabia que estaria seguro. Eu sabia que se eu dissesse a ele que não queria estar lá, ele iria embora. Mas eu ainda estava petrificado.

Na primeira noite eu segurei sua mão como um torno e disse a ele: 'NÃO solte minha mão.' Antes de você passar pela porta, havia uma placa dizendo que, se você se sentir ofendido com exibições públicas de nudez ou sexualidade, não entre. Mas nós entramos e era um clube muito bom. Havia uma grande discoteca, um grande bar e um enorme buffet montado. Estava limpo. Não era nojento, e a comida estava deliciosa.

Sentamos no bar e pedimos bebidas. Eu tinha que ir ao banheiro e havia uma mulher nua parada no banheiro ajeitando o cabelo. No bar, as pessoas dançavam de forma mais sugestiva do que em um clube normal, mas nada de maluco. Na primeira noite em que entramos, havia dois caras sentados no bar e duas garotas dando boquetes neles quando entramos.

Éramos meio tímidos. Essa é uma das coisas de que sempre gostei. Todo mundo sempre o deixa em paz, a menos que você não queira. Você pode passar por alguém que pode sorrir para você e você pode sorrir de volta e começar a falar. Nunca senti como se as pessoas estivessem rastejando em você. Uma garota passava por mim e, por mais heterossexual que eu fosse, dizia: 'Cara, você é lindo', se inclinava e me dava um beijo quente. E eu dizia, 'Essa é a coisa mais legal de todas - essa garota me acha bonito!' Claro que Eric gostou disso também.

Depois, há a área posterior. Para ir para a parte de trás do clube você tem que estar nu ou usando apenas uma toalha ou as meninas podem usar lingerie. Quase tudo volta lá. Há uma piscina, há banheiras de hidromassagem, há quartos privados se você quiser entrar. Depois, há camas na área aberta.

'Sempre me senti seguro lá.'

Naquela primeira noite, Eric disse: 'Você quer apenas ficar aqui [no bar]? E eu disse: 'Oh não, estamos aqui e quero ver tudo.' Nós realmente não tínhamos nos misturado com ninguém. Eles têm um vestiário onde você pode entrar e tirar a roupa e pegar uma toalha e entrar nos fundos. Existem preservativos em todos os lugares. Nunca fizemos nada, nem sexo oral, sem camisinha. Foi super limpo. Havia cestos de lençóis limpos por toda parte e lenços para que você pudesse limpar a cama e trocar os lençóis. Sempre me senti seguro lá.

A primeira vez [na sala dos fundos] foi muito chocante para mim. As pessoas estavam fazendo praticamente tudo que você possa imaginar. Duas pessoas juntas, cinco garotas juntas, era apenas um vale-tudo. Eu tinha minha toalha apertada em volta de mim e estávamos andando. Fomos e nos sentamos em um bar e depois de um tempo Eric disse: 'Bem, você só quer ir para um daqueles quartos sozinhos?' Então foi isso que fizemos. Fomos sozinhos para um quarto privado, fizemos um ótimo sexo, depois fomos para casa naquela noite e fizemos um ótimo sexo pelo resto do fim de semana. No dia seguinte, ele olhou para mim e nós dois começamos a rir. Nós nos divertimos muito. Isso meio que começou. Passamos por um período de dois a três anos. Eu compraria algo divertido para vestir e me vestiria bem e seria todo esse ritual.

Uma vez uma garota veio até mim e começamos a conversar e eu a achei linda. O marido dela estava lá, mas não se envolveu. Ela fez um boquete em Eric enquanto eu estava lá. Simplesmente aconteceu e não me incomodou e eu não me preocupei com isso. Trocamos casais talvez quatro ou cinco vezes desde então.

Havíamos decidido que se encontrássemos um casal por quem ambos estivéssemos atraídos, tentaríamos. Uma noite, conhecemos um casal com quem nos sentimos confortáveis. E ela estava realmente assustada como da primeira vez que fui. Dissemos a eles que nunca tínhamos estado com outro casal. Ela e eu tivemos um pequeno encontro e os caras simplesmente estavam lá assistindo. Acabamos mantendo contato com eles e nos encontramos novamente; daquela vez nós trocamos. Eric e eu estávamos na mesma sala. Sempre fomos capazes de nos ver e nunca nos separamos. Nós dois decidimos naquele ponto que ver as mesmas pessoas repetidamente não era uma boa ideia. O anonimato de conhecer outro casal e não saber muito sobre eles, e então se divertir indo para casa era melhor. Não queríamos nos encontrar com as pessoas repetidamente e recebê-las para jantar. Isso não éramos nós.

'Eu nunca pensei,' Oh, e se ele gostar mais dela do que de mim? ''

Não acho que tenha sido [medo de formar] vínculos emocionais tanto quanto medo de não podermos nos livrar deles. Eu confiei nele. Eu nunca pensei, Oh, e se ele gostar mais dela do que de mim? Eu nunca pensei isso. Depois disso, não mantivemos contato nem trocamos números. Muitas vezes íamos e seríamos apenas eu e ele. Nem sempre trocávamos.

A maioria das pessoas com quem estivemos ao mesmo tempo foram três outros casais, todos juntos. Dessa vez, comecei a conversar com uma garota no bar e Eric começou a falar com o cara e nós realmente nos demos bem. Eles tinham amigos e todos nós simplesmente começamos a conversar. E isso foi em público, não em particular. Estava tudo aberto.

estavam algumas vezes assustadoras. Fomos uma vez no sábado e nos divertimos tanto que voltamos para casa e dissemos: 'Nunca fomos aos domingos. Por que não voltamos por algumas horas? ' Estava vazio, mas havia um casal que era uns bons 30 anos mais velho que nós que nos queria muito. Eu me senti mal. Eu não queria ferir seus sentimentos. Mas eu fui ao banheiro e Eric me pegou e nós escapamos. A ideia de me despir com aquele casal ... sim, eu não poderia fazer isso.

Geralmente íamos sete ou oito vezes por ano. Então nos casamos e nos mudamos para uma cidade diferente. Há clubes aqui e já conversamos sobre isso, mas não estou tão confortável com meu corpo agora como estava há quatro anos. Se eu perdesse 11 quilos, voltaria. É divertido ter as pessoas achando você atraente. É divertido se sentir sexy e me vestir com roupas que eu nunca usaria.

Acho que me tornou mais forte. Eu fui muito protegido enquanto crescia. Eu era um pouco mais pesado, não grande, mas nunca me senti tão atraente. Quando fui lá, me senti linda. Apenas me senti bem. Eu quero que mais pessoas vão! Para nós, foi um construtor de relacionamento total, realmente foi. Foi uma experiência totalmente positiva. Isso nos aproximou mais do que qualquer um pode estar. Há um nível de confiança entre nós dois agora. Você não pode fazer algo assim sem confiar um no outro.